Coluna da Milk

Wednesday, June 25, 2014

Resumo da Ópera

Aqui vai um breve resumo dos meses em que eu sumi.

Fui de Bariloche para New Orleans no final de fevereiro. Passei 3 meses em New Orleans. Nesse período, além de resolver mil e uma coisinhas, trabalhei para o New Orleans Jazz Fest. Foi super cansativo mas divertido demais! Iniciei aí minha carreira na área de produção de eventos. hehehe
Ainda conheci um artista plástico do Rio que me convidou pra ser agente dele nos Estados Unidos. Nunca fiz isso mas por que não tentar? 

Então no fim de maio arrumei mais uma vez as malas para vir para o Brasil. Fui primeiro passear em São Paulo, depois a Rio Claro para batizar meu novo afilhado lindo Heitor, e, finalmente, cheguei aqui em Fortaleza já em junho. 

Pra quem mora em outro planeta, aqui no Brasil está rolando um evento chamado Copa do Mundo e Fortaleza é uma das sedes. Fui ver um jogo na nova Arena Castelão e fiquei maravilhada. Ficou lindo! Tem muito gringo na cidade, muita gente que parece estar se divertindo. 
Essa é uma Copa de muitas surpresas. Ainda não entramos nas oitavas de final e várias seleções "favoritas" foram eliminadas. O Brasil NÃO é uma delas (informação para quem reside em outro planeta)!
Eu gosto é de ver gol e não está faltando oportunidade nesses jogos. Muito bom mesmo!


Estou me preparando para celebrar meus 45 anos na próxima segunda-feira, 30 de junho. Dá pra acreditar? 
Eu adoro aniversários e acho fantástico completar mais um ano de vida nesse planeta. 
É um momento de dar graças. Depois eu conto como foi.

Meus pés torcendo pelo Brasil na Praia do Futuro, em Fortaleza.

Wednesday, February 12, 2014

Aula de espanhol: PIcada

Atenção! Há vários tipos de PICADA!

picada (pi'kaða
sustantivo femenino
1. picadura mordedura de un reptil, ave o insecto y marca que deja esa mordida la picada de una abeja
2. pesca acción de picar un pez el anzuelo No hubo mucha picada esa mañana de pesca.
3. carrera ilegal de automóviles en la vía pública La policía detuvo a dos jóvenes que corrían una picada.
4. senda estrecha que se abre en un lugar de vegetación espesa la picada de un bosque
5. comida serie de platos pequeños como aceitunas y fiambres servidos para acompañar una bebida Pidieron una picada para acompañar sus cervezas.



Significado #4: Abrindo caminho numa picada que pegamos outro dia para chegar no alto do Cerro Otto. Foi uma tortura essa subida de 1 hora e meia no meio de vegetação bem espessa em algumas partes.

Siginificado #5: Já a picada da Cerveceria Blest estava uma delícia!!

Monday, February 10, 2014

Viva la cerveza artesanal!

Além das lindas paisagens dos lagos e montanhas, o que se pode fazer aqui em Bariloche é comer muito chocolate e tomar cerveja artesanal.
Por isso, quando eu não estou subindo uma montanha, ou sentada na beira de um lago, eu estou numa cervejaria ou chocolateria. Estou fazendo um grande esforço para conhecer todas as que existem por aqui. ;)
Hoje vou mostrar algumas das cervecerias artesanais que conheci.

A Manush fica no centro de Bariloche. Adorei a decoração e a música. Estava tocando jazz.

A cerveja da Manush é muito boa. Estou pedindo o mesmo tipo de cerveja em todas as cervejarias pra poder se mais justa ao compará-las. Ando tomando muita Cream Stout. 

Cerveceria Blest fica na Avenida Bustillo nos kilometros, como dizem aqui. Longe do centro, mais perto da nossa casa. 

Há uma tradição na Blest de deixar um bilhetinho nos coasters da cervejaria. O lugar está coberto de tais mensagens. Achei o ambiente meio "cluttered" e estava cheio de crianças chorando, berrando. Quem leva os filhos para uma cervejaria numa sexta-feira a noite? Muitos argentinos, pelo jeito!

Olha ai as mensagens de brasileiros que passaram pela Blest antes de mim. 

Cerveceria Antares: também fica no centro de Bariloche. Mais uma Cream Stout pra mim! 

Na Antares nós pedimos papas bravas de tira-gosto. Elas vieram não muito bravas, até que o garçon voltou com uma garrafinha de Tabasco.

Olha aí um pedacinho de Louisiana aqui na Patagonia!!

Além dessas, conheci as cerveceiras La Cruz e Berlina.
De todas, eu voltaria na MANUSH. Gostei da cerveja e adorei o ambiente. Estava tocando jazz no sábado em que fomos lá e não tinha nenhuma criança gritando do meu lado.
Na Antares e na Berlina não tinha criança nenhuma. Não me entendam mal, não tenho nada contra, mas acho muito estranho você entrar num bar as 10 ou 11 da noite e ter um bebe chorando de um lado e duas crianças de uns 4 anos correndo e jogando coisas do outro.
A Blest foi a pior de todas nesse aspecto. A gente quase não fica lá por causa da berradeira. Convenci o José a ficar na Blest porque queria muito conhecer e é super famosa, meio que obrigatória a visita, sabe? A "picada" (tipo tábua de frios) que a gente pediu lá estava maravilhosa!

Saturday, February 1, 2014

O vento...

Puerto Pañuelo, Bariloche, Argentina

Friday, January 31, 2014

O Vento Patagônico e a Fiaca

Nem acredito que o mês de janeiro está acabando. Estou com a sensação que daqui a pouco acaba o ano e eu não fiz nada.

Acordo todo dia com uma lista do que fazer bem modesta.
A lista de ontem, por exemplo, incluía:

1) Limpar o fogão que é branco mas estava cor-de-rosa desde que resolvemos cozinhar beterraba.

2) Varrer a casa várias vezes porque tudo fica coberto de uma poeira cinza que, segundo o José, é ainda das cinzas do vulcão Puyehue que fica a 100 km de Bariloche (no Chile) e entrou em erupção em junho de 2011! O negócio foi tão sério que o aeroporto daqui ficou fechado por 7 meses!!!

3) Ler o livro "El Tiempo entre Costuras" porque é muito pesado e não vou levá-lo comigo pra New Orleans nem a pau.

4) Terminar a segunda semana do curso "Jazz Appreciation" (da UT Austin) que estou fazendo pelo edX.

5) Ir no supermercado próximo de casa para comprar papel higiênico, uma garrafa de vinho para o jantar, e outras coisinhas.

Parece pouco para ocupar um dia inteiro, não é?

Pois acredite que eu consegui não fazer quase nada disso.
Só limpei o fogão hoje de manhã.
Varri a casa, sim. Mas isso não vale, nem devia estar mais na lista porque eu não aguento ver todo esse pó!
Não li nada do meu livro pesado até a hora de me deitar quando já estava cansada demais porque fazer nada cansa. Li umas 3 páginas e fui dormir  e ainda passei metade da noite sonhando com a guerra civil espanhola.
Até que quase terminei a segunda semana do meu curso de jazz. Yay!!
Mas, como estava chovendo e ventando, eu não fui no supermercado. O coitado do José, meu herói, saiu as 9 da noite pra fazer essas comprinhas. Isso podia esperar até hoje, mas ele queria o vinho para acompanhar o jantar.

Conclusão?

Vou culpar o vento patagônico por não ter feito minha única atividade fora de casa. A chuva nem me incomoda porque agora tenho uma super capa de chuva azul escuro de bolinhas brancas! Mas eu não aguento esse vento, aliás, nenhum vento, patagônico ou não! Só que o patagônico ainda vem com as cinzas vulcânicas chilenas pra completar. Recomendo nunca abrir os olhos pra quem usa lentes de contato (como eu)!

Já as minha atividades dentro de casa... é pura "fiaca" mesmo. Fiaca, segundo o glosario de argentinismos, significa preguiça, vontade de fazer nada. Vem do italiano "fiacca", ou seja, é parente do "dolce far niente"!
Devo dizer que minha fiaca é até produtiva porque ontem eu e o José assistimos dois capítulos de Treme (season 4) e eu li muitos artigos do Guardian, The New Yorker, NPR, blogs os mais variados, nada a ver com nada. Também procurei uma poltrona colorida em várias lojas virtuais.
E a janela do nosso quarto é grande e ótima para ficar olhando as montanhas, as folhas das árvores movidas pelo vento, as nuvens passando, a chuva caindo... perfeita para fiaca!

Hoje eu NÃO inclui escrever no blog na minha lista e já estou terminando essa "tarefa". Talvez esse seja o segredo. Eu me rebelo contra a minha própria "to-do list". ;)


Tuesday, January 28, 2014

Vendo Bariloche do Cerro Otto

Lago Nahuel Huapi visto do Cerro Otto

José, o lago  e a cidade de Bariloche vista do Cerro Otto

Casa/Museo Otto Meiling

Berghof: coincidência? 

Lago Nahuel Huapi e Bariloche

Descida para a cidade

O Cerro Otto é uma colina que fica aqui dentro da cidade e resolvemos subir por uma trilha até a antiga casa de um dos fundadores do Club Andino Bariloche, Otto Meiling. Hoje a casa dele é um museu e está super bem conservada. Incrível é que em 2011 houve um incêndio que destruiu completamente o refúgio Berghof, ao lado do museu, mas, por sorte, a casa ficou intacta!

Levamos cerca de uma hora e meia pra chegar lá em cima pela trilha. Talvez tivesse sido mais rápido se eu estivesse usando umas botas mais adequadas. A vista é lindíssima e o dia estava perfeito.

Na volta decidi que seria melhor para minhas botas descer pela estrada para carros. Também levamos uma hora e meia na descida porque a estrada dá muitas voltas. Para compensar você tem uma vista fantástica o caminho inteiro.

***

Sobre Otto Meiling: Nasceu em 1902 na Alemanha (Baviera) e veio para Bariloche em 1930. Em 1931 o Club Andino Bariloche foi fundado por ele e uns amigos. Alguns anos depois eles construiram o Refugio Berghof que chegou a incluir hotel e restaurante. O complexo tinha como objetivo promover atividades como esqui, escalada e caminhada. Ele viveu numa casa (hoje museu) no Cerro Otto por 50 anos e morreu em 1989. É considerado um pioneiro do montanhismo da região.

PS: O nome da colina não é em homenagem a Otto Meiling, mas Otto Goedecke, outro pioneiro sobre o qual nada sei!



Thursday, January 16, 2014

Feliz Ano Novo, de Bariloche!






Fotos da Playa Bonita, em San Carlos de Bariloche, Argentina.

A praia (no lago Nahuel Huapi) fica pertinho da minha casa.
Quando está quente a praia fica cheiona, um monte de gente de biquini, tomando mate, e até há quem entre na água!
Eu vou só dizer que morri de calor porque não tem sombra nenhuma e eu mal coloquei o pé nesse lago gelado e saí correndo. Tem gosto pra tudo, né? Mas pra quem é de Fortaleza isso lá é praia?
O visual é incrível mas acho que fica mais lindo num dia menos quente. Tentarei outra vez.
Ah, e essas pedras... Uma tortura para os pés, bundas, costas, seja lá que parte do seu corpo você decidir encostar nelas.

Mas não estou reclamando... muito. Tem muita coisa boa por aqui. Vou apreciar a praia mais de longe, por enquanto, e vou continuar provando todos os chocolates da cidade.

Feliz 2014!!